Sobre o Queijo > Artigos > Queijo com frutas nativas Para preservar sabores e a Natureza< voltar
Queijo com frutas nativas Para preservar sabores e a Natureza
  • Valorização de sabores
    As frutas da Mata Atlântica fazem parte do cardápio do Café Pimenta Rosa, localizado no bairro de Tremembé, em São Paulo. Elas chegam às mesas pelas mãos de Adriana Manzano e Luciana Farias. (Adriana Manzano e Luciana Farias pesquisam sabores das frutas da Mata Atlântica.)

    “O interesse por essas frutas nasceu quando percebi que a maioria das coisas que consumimos não é nossa, não é nativa”, relata Luciana. “Se você perguntar, para um amigo, se a banana é nativa, a probabilidade de ele responder que sim é imensa. A jaca, então, nem se fala! O que a grande maioria não sabe é que essas e outras frutas não são nativas. Aliás, muitas das frutas que são nativas não são conhecidas e correm risco de extinção”, completa.
    Foi pensando na importância que os hábitos alimentares podem ter na preservação do meio-ambiente que a dupla começou a usar sabores nativos em seus preparos culinários: “Partimos do princípio de que se as pessoas gostarem haverá a necessidade de plantar mais dessas frutas e assim podemos salvá-las através do paladar. Algumas delas são mais difíceis de serem trabalhadas, mas todas são deliciosas, vale a pena experimentá-las e, não só isso, fazer com que façam parte do nosso dia-a-dia” defende Luciana Farias que, ao lado da sócia Adriana Manzano, pesquisa inúmeros usos para frutas como cambuci, araçá, grumixama, uvaia, jussara além de jabuticaba, maracujá e goiaba.
    A experiência que começou com a produção, para festas e eventos, de cupcakes artesanais - que tinham como atrativo as frutas da Mata Atlântica - teve tanto sucesso que desembocou na inauguração de um espaço onde todos podem experimentar as iguarias. Assim nasceu o recentemente inaugurado Café Pimenta Rosa que tem um cardápio sazonal, baseado em ingredientes brasileiros.
    Entre as atrações que levam queijo estão os dadinhos de queijo Coalho grelhado com geléia de jabuticaba; Mussarela acompanhada de pimenta biquinho, geléia de uvaia e araçá; cupcake salgado de abobrinha brasileira com Requeijão de corte e cupcake salgado de Ricota aromatizada com ervas e tomate-cereja. “Nós fizemos uma série de testes com alguns queijos, porém demos prioridade no cardápio para os nacionais, mas também testamos com Mussarela. O queijo Coalho é um queijo que combina com todas elas, principalmente quando em geléia. A Mussarela casou muito bem com araçá e uvaia”, explica Luciana.

    Inovando com queijos e frutas especiais
    Se você gostou da ideia de aliar bom paladar à preservação ambiental, pode experimentar em sua cozinha alguns preparos, seguindo as dicas da Luciana. Para inovar com os brasileiríssimos Minas ou Requeijão de corte ou de copo, ela propõe um novo “Romeu e Julieta”, casando-os com doces de frutas nativas. Ou até mesmo produzir cupcakes com Requeijão de copo e uma dessas frutas: “Fica muito interessante”, garante Luciana.

    (Cupcake decorado com physalis e recheado com geléia de cambuci.)
    Queijos como Parmesão, Gorgonzola , Provolone e outros de sabor forte ela sugere que sejam usados em risotos que terão como base o molho de frutas. Já o Brie fica perfeito ao lado da uvaia: “É uma combinação tão boa quanto Brie e damasco”, sublinha.
    As possibilidades são inúmeras. Todas as frutas nativas dão ótimas geléias, ideais para servir ao lado de queijo Coalho ou Minas. E até mesmo em saladas de folhas, que podem ser guarnecidas com os queijos de sua preferência, as frutas fazem bonito: “A pitanga e o cambuci são ótimos para molhos de saladas. O Cambuci, por ser adstringente e cítrico, deve ser usado em forma de geléia com pouco açúcar, dando um sabor agridoce ao prato. A Pitanga in natura é cítrica, suave, dá para servir com folhas também suaves com sabores mais fracos, fazendo com que o sabor dela sobressaia” , arremata a profissional.