Sobre o Queijo > Artigos > Romeu e Julieta, Criatividade em tempos de romantismo< voltar
Romeu e Julieta, Criatividade em tempos de romantismo
  • Sim, o nome Romeu e Julieta batiza um prato salgado, com salmão, criado para o restaurante Summer Garden, em Miguel Pereira, RJ, pela chef Diana Maria de Carvalho. Ela – uma craque em combinações inusitadas que encantam – criou um molho muito especial, para acompanhar o peixe, combinando suco de goiaba e requeijão. O prato é fácil de fazer. Os filés de salmão – que devem ter cerca de 200g cada – são temperados apenas com sal e depois fritos em azeite de oliva. Para preparar o molho para dois filés, Diana ensina a usar a mesma frigideira em que se fritou o peixe, retirando-se o excesso de azeite e acrescentando mel (1 colher de chá) e o suco de goiaba concentrado (1/2 xícara), que ela prefere fazer da própria fruta, mas que pode ser industrializado. Depois de deixar ferver em fogo baixo, por um minuto, é só colocar um pouco de requeijão cremoso e outra medida igual de creme de leite (1/3 de xícara de chá de cada um), uma pitadinha de pimenta-do-reino e servir. Por cima do salmão fica perfeito, mas se você for tão criativo quanto a chef, com certeza descobrirá outras carnes (peixes e aves) que casem bem com o molho.
    Enquanto dá a entrevista, Diana imagina outra combinação certeira: lombinho de porco com chutney de goiaba e molho de requeijão. “Nunca fiz, a ideia me veio agora, mas tenho certeza que dá certo”, afirma. E prossegue ensinando. Basta assar o lombinho na panela, depois coar o caldo do assado e misturar requeijão neste caldo. Na hora de servir, fatie o lombinho, coloque em travessa ou prato individual, sirva a carne coberta com chutney de goiaba e com o molho de queijo ao redor. A aposta na dobradinha não para por aí. Quase todo ano, no dia 12 de junho, ela inclui uma sobremesa especial no cardápio: musse de goiaba servida com uma calda feita com dois requeijões, cremoso e de corte.
    Reinventado a lasagna
    Na pizzaria Stravanganze, em Ipanema, a combinação goiabada com queijo tem dado o que falar. Romeo e Giulietta é o nome de uma lasagna doce, sem a massa, mas com o mesmo tipo de montagem em camadas, toda feita de goiabada e queijo. O chef Dudu Camargo, que comanda outros seis restaurantes em Brasília, garante que a ideia de montar uma lasanha doce é totalmente original, nunca tendo experimentado nenhuma outra em sua vida. Sua criação tem como base o requeijão de corte, mas Dudu ensina que o ingrediente pode ser substituído por vários queijos, exceto o gorgonzola, que considera muito forte para esta sobremesa. Aqui, Dudu Camargo dá todos os detalhes de como preparar este prato simples e inovador (http://www.laticiniosmarilia.com.br/espaco_gourmet/receita/lasagna_romeo_e_giulietta/66 ).

    Total brasilidade
    A chef e consultora Ana Ribeiro, mineira que se radicou no Rio e que adora mesclar seu grande conhecimento da cozinha brasileira com as técnicas de alta gastronomia, criou uma sugestão inspirada no romântico mês de junho e que divulgamos em primeira-mão. É a verrine Romeu e Julieta, que tem o encanto adicional de ser servida em pequenos copos. O copinho fica bicolor: parte ocupado pelo creme de queijo – que ela chama de Romeu-, e parte pela Julieta, feita com goiabada. A receita serve de 8 a 10 taças pequenas.
    Para preparar o Romeu, basta bater no liquidificador 200g de requeijão de corte, junto com 1 copo de iogurte natural e 80g de açúcar. Vá batendo e acrescentando aos poucos 1 copo de água de coco. Quando o creme estiver liso, coloque um pouco em cada copinho e leve à geladeira.
    É hora então de preparar a Julieta. Em uma panelinha, coloque 200g de goiabada em cubos e 2 xícaras (chá) de água mineral, mexa até a goiabada estar bem dissolvida e deixe ferver por 5 minutos. Retire do fogo e acrescente cachaça (2 colheres de sopa). Então deixe esfriar bem e complete os copinhos com a Julieta. Volte com as tacinhas para a geladeira e, na hora de servir, decore com pedacinhos de goiaba e folhas de hortelã. Mais brasileiro, impossível. E também, irresistível.